Mastreação: Como obter um barco estável regulando-a

Técnicas Manutenção Veleiros 24 abril de 2019

Vamos enfrentar juntos um assunto técnico sobre a regulação da mastreação para ter uma boa estabilidade do veleiro. Se diz que um veleiro em navegação é estável quando, sob a ação de todas as forças que agem sobre a embarcação, ele não tem nenhuma tendência a sair do próprio rumo.

Se o barco não for estável significa que algo está errado na mastreação. Sob a ação do vento e do mar a embarcação é:

  • Ardente: ou seja com a tendência a orçar indo pra direção do vento
  • Mole: com a tendência a arribar se afastando da direção do vento.

Nos dois casos, como mínimo vamos ser obrigados a uma constante correção do rumo através da ação do leme.

Como sabemos, cada ação do leme gera resistência, o que se traduz em perda de energia de propulsão e consequentemente de velocidade. Esse é o motivo pelo qual embarcações de regata prestam muita atenção na estabilidade, justamente para não perder velocidade.

Existem também algumas considerações relacionadas à segurança. Um barco instável é um barco pouco seguro porque menos eficiente em enfrentar situações de mar e tempo adverso.

Temos também que dizer uma pequena instabilidade é tolerada em barcos de cruzeiro. Eles são geralmente projetados e regulados para ter uma leve tendência à orçar. A explicação disso é muito simples.

Se em um determinado momento, durante uma velejada, perdemos o controle, o barco irá orçar indo para a direção do vento e consequentemente parar. Caso contrário, se ele arribasse, iria expor maior superfície velica ao vento, aumentando de velocidade até chegar ao través do vento.

Porque se determina a instabilidade?

Vamos entrar mais nos detalhes da mastreação e considerar o caso mais simples de navegação com vento ao través. O vento irá exercitar uma força em uma direção perpendicular ao barco e água agirá com uma força na direção oposta aplicada ao casco.

Agora temos que enfrentar dois termos técnicos que são o centro de flutuação e o centro velico.

  • O centro de flutuação é o ponto de aplicação da resultante de todas as forças que agem sobre o casco. Tipicamente a força do mar das ondas e das correntes.
  • O centro velico é o ponto de aplicação da resultante de todas as forças que agem sobre as velas por ação do vento.

Quando o centro de flutuação e o Centro Velho estão se encontram a uma certa distância no eixo longitudinal da embarcação vamos ter uma tendência a orçar ou arribar. É isso que gera a instabilidade.

Na figura acima podemos ver que na esquerda o centro velico encontra-se na frente do Centro de flutuação. Isso irá gerar uma força Que deixará o barco instável proporcionalmente ao quadrado da distância longitudinal entre os dois pontos: Neste caso terá tendência em arribar.

No caso da direita o centro velico encontra-se atrás o centro de flutuação, o que é determinará a tendência do barco em orçar.

Mas como se obtém um barco estável?

Sendo que o centro de flutuação não é modificável, enquanto determinado por características de projeto da embarcação, a nossa única escolha é agir para alterar a posição do centro velico, deixando ele mais perto possível do centro de flutuação.

Isso se faz regulando os aparelhos fixos do barco ou seja estai de popa, estai de proa e eventualmente brandais.

O mastro da embarcação não é perfeitamente reto.  Ele tem uma inclinação para frente ou para trás além de uma forma dizemos assim “a banana”.

Trata-se de poucos milímetros ou centímetros geralmente imperceptíveis, mas que tem justamente esta função de regulação do centro  velico além de permitir uma maior força estrutural.

Então o que vamos ter que fazer?  Consideramos por exemplo um caso de veleiro com tendência orçar. Significa que o nosso centro velico encontra-se um pouco atrás do centro de flutuação. Vamos agir no está de popa folgando ele de poucos de centímetros.

Em seguida vamos caçar o estai de proa recuperando o que lascamos de popa. Desta forma o centro velico se posicionará um pouco mais pra frente diminuindo o anulando a tendência a orçar.

Claramente, depois disso serão necessárias várias provas de navegação, com as diferentes mareações, para determinar se agimos corretamente ou não no tentativo de deixar o nosso barco mais estável regulando a mastreação.

Tags: Manutenção Nevegação