10 causas mais comuns de acidentes no mar

Técnicas Velejar 16 agosto de 2019

Autor: Andrea Ciccotti

Qualquer um que se aproxima do mar pela primeira vez, muitas vezes ouve repetido por aqueles com a maior experiência: 'a segurança vem em primeiro lugar'.  Deve ser porque os perigos no mar estão lá e às vezes eles são imprevisíveis.

Mas quais são as causas mais freqüentes de acidentes?

A United States Coast Guard, a Guarda Costeira dos EUA, pensou em fazer uma lista dos 10 acidentes de barco mais típicos e potencialmente perigosos. 

1 - Terminar o combustivel

Parece banal, mas não é. A falta repentina de combustível pode não parecer particularmente arriscada quando você está perto costa e há bom tempo. Mas há também tempestades e é melhor não ser pego despreparados. Como isso é possível? Talvez você calculou mal a autonomia ou queimou mais combustível do que o esperado. Ou talvez você gastou muito tempo procurando um bom lugar para pescar e, eventualmente, você se encontrou a seco. A melhor maneira de evitar este tipo de problema é planejar. Decida primeiro onde você quer ir e calcular Quanta gasolina você precisa para a viagem de ida e volta e dobrá-lo para o retorno, tudo dependendo das milhas que você precisa fazer. Se você vai pescar Lembre-se também de calcular a gasolina para esta atividade, tenha cuidado para não consumir a do retorno. Se possível, adicione uma margem de combustível de 10-20%.

2 - Ficar encalhado

Se o seu barco não é muito grande, você também pode querer tentar tirá-lo das rochas. Tenha cuidado para que o seu casco não tenha buracos, porque é melhor ficar encalhado do que afundar! Para evitar este tipo de incidente é importante estar sempre atento ao que nos rodeia no mar. Em caso de dúvida, especialmente à noite, é sempre melhor navegar lentamente e com cautela. Depois de ficar encalhado nas pedras, compensa uma visita ao estaleiro para uma chacagem aprofundada.

3 - Cair do barco

Pode acontecer até mesmo os marinheiros mais experientes. E você nem sempre acaba na água em um estado de consciência. Então sempre tentar usar um colete salva-vidas que mantém você à tona com o rosto para o ar.

4 - Afundar

Pode parecer brincadeira, mas a razão mais comum é um buraco no casco. Muitas vezes é intencionalmente criado ao fazer reformas com pouca competencia. Os registros para as tomadas de mar  de latão são os melhores, mas os de plástico são menos caros e mais resistentes à corrosão. No entanto, os encaixes de plástico quebram se apertados demais: eles quebram, sem sinais de 'aviso'. Os pequenos vazamentos que devem nos alarmar se algo der errado. Verifique frequentemente tomadas do mar e porões, bem como preparare a bordo uma seleção de cunhas de madeira circulares resistentes a serem aplicadas para estancar a hidrovia.

5 - Incendio

Felizmente, graças à tecnologia a bordo e nos componentes, os incêndios a bordo são cada vez mais raros, mas é sempre melhor não assumir riscos. O que pode gerar um incêndio a bordo? Claramente combustiveis (gasolina, o diesel não é inflamavel), gas, circuitos elétricos e flamas da cosinha. Você deve sempre procurar vazamentos de combustível, ou sinais na água com a cor do arco-íris. Sempre verifique se você tem extintores de incêndio a bordo, classificados para combustível ou incêndios elétricos, e se eles ainda estão carregados. Tê-los inspecionados e substituídos em caso de dúvida.

6 - Falhas

A Guarda Costeira dos EUA diz que os acidentes mais graves geralmente resultam de falhas mecânicas e conseqüentes problemas elétricos. Uma bateria defeituosa não liga o motor de um barco. E assim, mesmo as luzes do barco não funcionam, por isso, se é noite, você é praticamente invisível. Uma boa escolha é, sem dúvida, representada por baterias AGM, modelos em que o eletrólito (ou a mistura de água e ácido sulfúrico) é quase completamente absorvido por elementos de fibra de vidro, tornando-os mais seguros do que com chumbo líquido em caso de quebra. Eles não precisam de manutenção e praticamente não produzem vazamentos de gás, que são prejudiciais à saúde e ao porão.

7 - Equipamentos de segurança

Há muitos navegantes que negligenciam equipamentos de segurança em seus barcos. A Guarda Costeira dos EUA diz que cerca de metade dos afogamentos mortais envolvem velejadores sem coletes salva-vidas. Um colete salva-vidas só merece se for do tipo certo e do tamanho certo. Lembre-se que se você terminar em água a 10 graus, você tem apenas alguns minutos de movimento antes que os músculos desistam. E então você não será capaz de manter sua cabeça acima da água. Nunca deixe o porto sem foguetes e luzes e uma propulsão de reserva, como um remo. Mesmo as âncoras são negligenciadas como parte integrante do equipamento de segurança, ao invés de serem a primeira linha de defesa em caso de falha ou tempestade.

8 - Ignorar o meteo

Navegantes antigamente recebiam atualizações meteorológicas apenas de rádios dedicados ou rádios marítimos (VHF). Hoje, entre arquivos grib e software de previsão do tempo, receber informações é muito mais fácil. Até mesmo o seu smartphone, enquanto for necessário, pode executar aplicativos climáticos. Sempre verifique o tempo com antecedência e não deixe o porto se as condições forem incertas e arriscadas.

9 - Desatenção

Hoje, apesar do radar, AIS e GPS cartográfico, ainda ouvimos as pessoas dizerem: 'Eu não os vi chegando'. É uma explicação muito frequente para acidentes, mas não justifica quem está em falta, pelo contrário. Se todo o equipamento de bordo não for suficiente, tudo o que você precisa fazer é prestar atenção tanto à navegação para ter sempre uma boa visão.

10 - Álcool

O álcool retarda os reflexos e compromite o raciocinio. Mais do que suficiente para arriscar ferir você e os outros. Se você tiver que se colocar no comando. Beba com responsabilidade. 

Tags:
Manutenção Segurança